GESTÃO POR RESULTADOS

Concentrar os esforços de uma organização em tarefas que não trazem resultados é como enganar a si mesmo e ainda se lamentar por que as coisas não acontecem. Por outro lado, acompanhar a evolução, conhecer os riscos e as oportunidades motivam os envolvidos a fazerem mais a partir de métodos mais assertivos com resultados melhores.

Apresentado primeiramente por Peter Drucker em 1954 em seu livro The Practice Management, a gestão por resultados nunca foi tão atual. A concorrência acirrada faz com que a s empresas se atenham ao real motivo que as fazem atuar dia a dia, vencendo os desafios e fortalecendo a dedicação de seus esforços.

São vários os pontos positivos que favorecem a aplicação da gestão por resultados nas organizações, em especial as micro e pequenas empresas, como por exemplo: a) motivação dos colaboradores:   participam da formação do objetivo, reconhecendo  importância do seu trabalho; b) melhorias na comunicação: quando as pessoas que compõem a empresa tem claro para onde estão indo o diálogo está sempre voltado para um único objetivo e tudo é feito em prol da realização do mesmo, a partir de feedbacks sinceros, troca de informações que favoreçam o todo, etc; c) Clareza constante dos objetivos e das metas estabelecidas: proporciona o acompanhamento contínuo das métricas e a aproximação dos resultados; d)  melhoria na produtividade: validação do que deve ser feito, agilidade no processo, consciência das etapas e da fase de construção.

QUANDO IMPLANTAR A GESTÃO POR RESULTADOS (GPR)

Os modelos de gestão se renovam rapidamente e é preciso muita atenção para acompanhar essas mudanças e aderir o método mais eficaz para cada tipo de negócio. Trabalhar desesperadamente durante a semana, sem poupar sábados e domingos e escandalosamente ridículo quando se fala em gestão do tempo, produtividade, assertividade, objetivo e foco. A mente precisa de fôlego para se reabastecer de insights e perspectivas inovadoras que te permitam ir além, pautado sempre na forma estratégica de realizar os seus sonhos.

Flexibilidade e a palavra chave para esse modelo, onde os métodos convencionais sem sempre são prioridades e a mente permanece aberta para novas possibilidades.

 

ETAPAS FUNDAMENTAIS DA GPR

Seguindo os passos acima é perfeitamente possível a introdução de uma nova forma de acompanhar os resultados alcançados em tempo hábil para que as mudanças necessárias sejam aplicadas sem que a empresa sofra uma queda, afinal, é mais barato manter do que construir.

MÃO NA MASSA

O que você está esperando?

Qual a real necessidade do seu negócio e o que você precisa fazer hoje para estar onde deseja em 31.12.2017? O mês de junho marca a metade exata do ano então eu questiono, 50% da sua meta programada para 2017 já foi cumprida? Se a resposta for não, aperte o cinto e tome uma atitude antes que a concorrência faça por você! Ah! Antes que eu me esqueça, já pense na sua recompensa, pode ser uma viagem, um curso de extensão, algo que te deixe bem e feliz para os desafios da próxima etapa, mas só vale é claro, se você chegar lá! Vamos nessa?

Foco e disciplina!   Eu acredito em você!

 

 

QUAL É SUA MISSÃO DE VIDA?

O que é mais importante? O que deseja ser?                                   

Em que acredita? Se você ainda não sabe responder a todas essas perguntas, não perca tempo: reflita, avalie e descubra para que veio a este mundo – FARÁ TODA A DIFERENÇA EM SUA VIDA!

Poucos setores da vida das pessoas e das empresas são tão subavaliados quanto o tripé básico formado por missão, visão e valores. Esses conceitos fundamentais costumam ser esquecidos, ignorados ou deixados de lado, com graves consequências, tanto para as pessoas quanto para as organizações.

Para compreendermos melhor a importância deles, precisamos fazer um refletir no significado de Inteligência Emocional, cuja ideia surgiu quando se começou a perceber que nem sempre as pessoas com QI (Quociente de Inteligência) mais alto  eram as que tinham maior sucesso, seja na vida pessoal, seja na vida profissional. Como o QI era a forma mais respeitada para medir a inteligência, ficou a dúvida: por que nem sempre as pessoas mais inteligentes sobressaiam?

Dos diversos estudos realizados, quem melhor respondeu a essa pergunta foi Daniel Goleman, em seu livro Trabalhando com a Inteligência Emocional (editora objetiva). Ele dividiu a inteligência emocional em duas partes: competências pessoais e competências sociais. Chegou à conclusão de que esses fatores são muito mais importantes para  prever o sucesso ou insucesso das pessoas. As competências pessoais dividem-se em três partes: autoconhecimento, autogerenciamento e motivação, que formam uma trilha perfeita para o desenvolvimento de cada um. Já as competências sociais se dividem em: empatia e habilidades sociais.

Nesse trabalho fica muito evidente a importância do autoconhecimento como passo inicial da jornada do desenvolvimento pessoal. Não adianta pular essa etapa. Somente quem se conhece pode traçar  um plano eficaz de autodesenvolvimento. Cada pessoa possui seus pontos fortes e seus pontos fracos. De nada adianta desenvolver competências sociais como empatia e comunicação sem compreender quais são suas necessidades individuais.

Somente depois desse passo é possível executar o autogerenciamento e os demais. Afinal, uma das partes mais importantes do autogerenciamento é o cumprimento do plano de desenvolvimento pessoal, traçado na fase do autoconhecimento. A implementação desse plano é que vai gerar a motivação necessária para se atingir objetivos. E é aí que entra o  tripé básico. Conhecer-se bem significa saber primeiramente qual é a nossa missão de vida, nossos valores mais importantes e também nossa visão de futuro.

 

 

Que valores são esses? O que vem a ser a visão de futuro? Como faço para descobrir isso? Comecemos pela missão de vida. Ela é a frase que responde à pergunta. “ Por que estamos nesse planeta? ”. O propósito de vida é uma lembrança de quem somos e do impacto que causamos no universo. Falo aqui sobre esse fator sem nenhuma conotação ou crença religiosa. Missão de vida é simplesmente aquilo que precisamos fazer para nos realizar como seres humanos completos. É o que nos inspira e motiva a fazer a diferença em cada dia de nossa vida. Realizá-lo faz com que a vida seja completa e feliz.

Mas se isso é tão importante como podemos saber ou descobrir nossa missão de vida? Em nossos trabalhos como coachs, nos cursos, workshops de liderança, eu e minha sócia Lays  ajudamos nossos clientes a encontrar sua missão com algumas perguntas:

  • O que em sua vida está incompleto?
  • O que você gostaria de fazer para se considerar completamente realizado?
  • O que você gostaria de aprender?
  • Quais são as coisas mais importantes da sua vida?
  • Se você tivesse todo dinheiro que necessita, o que mudaria na sua vida e o que não mudaria?
  • O livro/filme mais inspirador que já leu/assistiu…

É importante frisar que não existe missão certa nem errada. Cabe apenas a você saber se a sua missão lhe inspira e lhe impulsiona. Pense nisso!

Valores e Crenças

Descoberta a Missão de vida, que cá entre nós, não é um processo muito rápido, podemos partir para os valores e crenças, os princípios que guiam nossas ações e a nossa vida. Explicitá-los pode transformar nossa vida. O que é mais importante para você entre liberdade, felicidade, família, honestidade, etc.? Liste os seus dez valores mais importantes. Agora coloque-os em ordem de prioridade do primeiro ao décimo. Por fim, o mais importante, dê uma nota de 0 a 10 para quanto você vem honrando e respeitando cada um desses valores.

Se alguma nota for abaixo de 7, comece a refletir o que teria que acontecer na sua vida para  que passe a 10. Pronto! Monte seu plano de mudança imediatamente, pois se você não honra seus valores mais importantes dificilmente vai ter sucesso na vida.

 Futuro

Chegamos ao passo final, sua visão de futuro. São as imagens mentais que nos inspiram a agir e a tornar nossos sonhos em realidade. Visão nos dá direção e pode criar objetivos de vida. Comece pensando no seu futuro daqui a dez anos. Onde você gostaria  estar vivendo? Onde gostaria de estar trabalhando? Com quem gostaria de estar vivendo ou convivendo?

Crie um filme para a sua vida. Se você  ainda não sabe exatamente onde deseja estar, comece a refletir sobre isso e crie essa visão. Faça de conta que você é um diretor de cinema e imagine um filme com uma vida maravilhosa na qual você é o ator principal. Uma vida inspiradora pode fazer toda a diferença no seu cotidiano. Sabendo aonde se que ir, podemos chegar mais rapidamente até lá. Se sua visão de longo prazo está incongruente com as suas atitudes, essa é a hora de tomar a atitude de mudar.

Muito bem. Agora seu tripé está completo. Cheque se os três estão congruentes entre si. Se um deles for incompatível, com qualquer um dos outros dois, você está preparando uma armadilha para você mesmo.

Mas se o tripé estiver harmonioso e for inspirador para você, corra para colocar em prática uma vida maravilhosa. Não tenha vergonha de ser diferente dos outros e não receie buscar uma vida extraordinária. Afinal, ela só existe mesmo para quem acredita nela.

VOCÊ ACREDITA?!

 

 

 

APRENDA A DIZER NÃO

Nessa última semana, quantas vezes você fez ou falou algo que não foi condizente com o que realmente gostaria de fazer ou dizer?

Nossas atitudes são pautadas em uma trajetória de vida que perpassa por nossos valores e desejos, a grande questão é que muitas vezes contrariamos a nós mesmos em favor de algo ou alguém?

Dizer sim a pedidos e exigências alheias quando na verdade preferíamos ou gostaríamos de dizer não é sem dúvida uma das principais dificuldades que enfrentamos no dia a dia.

Willian Ury, professor em Harvard e um dos maiores especialistas em relacionamentos corporativos, evidencia que é muito comum evitarmos o não, mesmo quando desejamos ou sabemos ser necessário dizê-lo. Outras vezes, ainda falamos o não de forma tão rígida que acabamos comprometendo um acordo ou relacionamento importante. Por isso, segundo o guru, aprender a dizer um não objetivo e ameno é decisivo em todas as áreas da vida e fundamental para quem quer defender seus interesses e convicções.

Nesse sentido, a assertividade é que realmente vai fazer a diferença. O equilíbrio entre dizer o que realmente pensa e o fazer sem magoar o receptor é sem dúvida um dos grandes segredos de um bom relacionamento interpessoal.

 “NÃO” NO TRABALHO

 Ter dificuldades em dizer “não” no trabalho é ainda mais comum e isso acontece numa tentativa de agradar aos chefes e colegas. No entanto, o “sim” para tudo pode demonstrar falta de determinação, de postura profissional. Por isso, crie coragem e diga “não” para as atividades que não são sua responsabilidade ou tarefas que não são da sua área de conhecimento. Uma boa maneira de fazer isso é falando sobre suas outras prioridades no trabalho e explicando que não será possível se comprometer com outra atividade no momento.

Ao contrário do que pensa quem tem esse medo, a capacidade de dizer “não” pode ser percebida com admiração, pela disciplina e coragem embutida na resposta. Veja que o não é positivo! Ele esclarece e evidencia quem somos e cria uma identidade realmente capaz de nos descrever.

Agora por que na prática agir dessa forma parece tão difícil?

Desde a infância, somos incentivados a nos esforçar para socializar com os outros. Num misto de solidariedade e compromisso, aprendemos a estar sempre à disposição. É preciso ter consciência de que é importante aprender a dizer não, porque caso não aprendamos, perderemos o controle de nossa vida, e sentiremos raiva por fazer coisas que, na realidade, não queremos fazer.

No entanto, para se impor, não é preciso agredir ou ofender. Todo tipo de conteúdo pode ser transmitido de diversas formas e até uma recusa pode ser acompanhada de uma atitude de respeito pelo outro e de uma boa dose de gentileza.

Agora, apesar de todos os cuidados é preciso estar preparado para casos em que o não seja mal interpretado. Nunca teremos certeza se a outra pessoa entenderá nosso ponto de vista. Quem pede algo com a certeza de que será atendido tende a ficar irritado com a negativa e nesse contexto é importante fortalecer o ponto de vista que leva a tal decisão e caso se torne irredutível é preciso avaliar a relevância de manter um relacionamento onde não se pode expressar o próprio posicionamento.

É uma tarefa difícil, mas aplicar esse comportamento no dia a dia depende muito do seu propósito de vida. Onde você quer chegar? Se isso não está claro certamente você é um (a) forte candidato (a) a sair concordando por aí sem ao menos considerar as consequências dessa ação.

Reflita! Comece a exercitar hoje!

 

 

QUAL É A TUA? CHEFE OU LÍDER

Em toda equipe existe, frequentemente adormecido um campeão. O líder para valer reconhece as fortes árvores ocultas no cerne da semente. Onde os outros veem mais um office-boy, ele consegue enxergar um futuro gerente.

O líder para valer sente prazer em trabalhar com pessoas competentes. Ele investe tempo e energia nelas. Abre espaço para que os membros de sua equipe assumam responsabilidades e comemora o crescimento de seus colaboradores. Nunca se sente ameaçada por eles, pois sabe que necessita de pessoas  eficientes para realizar seu trabalho para obter a promoção tão desejada. Está disposta a ouvir críticas e ideias, seja qual for o nível hierárquico dos colaboradores, porque seu objetivo é atrair, desenvolver e manter pessoas de talento em seu time. Estimula todos a crescer, pois adora trabalhar com líderes não com empregados.

Liderar é criar autonomia. Fico impressionada com o número de chefes com a mentalidade de que precisam controlar tudo!!! Os controladores matam as empresas, destroem a capacidade dos colaboradores e, principalmente, a própria vida. Para ser líder é necessário, antes de qualquer coisa, entender de gente.

Por que é tão complicado encontrar excelentes líderes? Porque, quase sempre, não forma equipes independentes e criativas. O bom líder brilha, justamente, ao unir as habilidades de cada membro e elevar a autoestima de todos para que a satisfação, a felicidade e a boa qualidade de vida sejam os pilares centrais do cotidiano.

Esse discurso soa muito bem na teoria, mas na prática a realidade está muito aquém. Infelizmente nossas empresas estão superlotadas de chefes que querem ser donos de seu feudo e não permitem nenhuma ideia nova de sua equipe. O resultado tem sido catastrófico: prejuízos, erros repetidos e péssimo ambiente de trabalho!

Com isso, a empresa corre o risco de perder seus melhores profissionais. Muitas pessoas ainda pensam que, se a empresa não evolui, os profissionais leais irão permanecer no barco. Mas sabemos que essa não é a realidade. Os profissionais sensacionais se desmotivam quando se dão conta que a empresa não está comprometida com seus objetivos.

Analise se seu primeiro impulso como líder é pensar no outro e estimular sua equipe a realizar seus projetos. Esteja certo de que somente assim os objetivos comuns serão atingidos. O bom êxito da equipe cria o sucesso de seu líder.

O verdadeiro líder estimula a participação das pessoas. Um investimento absolutamente desperdiçado nas organizações é o gasto em programas de delegação. Na empresa em que líder estimula a participação, ninguém precisa delegar nada, pois todos sabem o que realmente tem que fazer.

Quem não tem capacidade para conquistar seus lideradas acaba usando a força do cargo para se impor e ser respeitado. Na marra, um líder nada consegue. As pessoas podem obedecer por necessidade de sobrevivência ou por medo de perder seu emprego. No fundo, o líder, sabe que não pode contar com esses liderados. Não há cumplicidade entre eles. É como um general   que comanda uma tropa de mercenários. Se surgir uma oportunidade, os soldados se bandeiam para o lado que pagar mais.

No decorrer da minha jornada profissional, vi e presenciei muitos chefes ao invés de líderes. Ninguém da equipe os ouvia. Muitas vezes a liderança autêntica brotava da secretária. O “chefe” ficava com ciúmes e cobrava obediência da equipe. Era atendido por que o pessoal tinha medo de perder o emprego. Mas a admiração pela secretária continuava.

Em vez de ficar competido com ela, o chefe faria melhor se tentasse aprender com a  secretária como ela conseguia tocar o coração das pessoas. Se assim fizesse, certamente estaria começando a ser um líder para valer.

Pense nisto: se sua equipe o ouve, respeita suas ideias e tem vontade de segui-lo, você está ajudando as pessoas a realizar seus sonhos. Se tem de usar a força do cargo para ser ouvido e se as pessoas o temem, você ainda não chegou lá!

Autoconhecimento – A chave para o sucesso pessoal e profissional

A auto-estima oscila de acordo com as experiências que vivemos ao longo de nossa trajetória e principalmente em como nos sentimos em relação a cada uma delas.  Mas o que faz com que algumas pessoas sejam mais seguras de si, mais estáveis emocionalmente enquanto outras se perdem e tomam atitudes que causam consequências negativas?

A compreensão das próprias emoções e o auto controle viabiliza o alcance dos nossos objetivos e o mais importante, nos aproxima das pessoas, seja no âmbito pessoal ou profissional, quando se pensa que o mundo de uma forma geral, gira em torno de relacionamentos, essa é uma informação muito relevante e nesse contexto, cabe um questionamento interessante: O que as pessoas ao seu redor pensam sobre você? Talvez seja uma pergunta difícil de responder, mas é importante que você reflita, pois certamente se trata do que você é de verdade e muitas vezes não consegue enxergar, seja por orgulho, medo ou mesmo resistência. A falta do autocontrole não é o principal problema, a grande questão são as consequências que muitas vezes não são analisadas a ponto de gerar mudança de comportamento, afinal, se você percebe que as pessoas se afastam, sem motivo muito aparente, fique atento, pode ser que você não tenha assim tanta razão.

Dentro de nossa busca pelo bem estar e crescimento interior, podemos repensar muitas coisas que nos permitam nos conhecer e nos orientar para o que nos satisfaz e para o que melhor sabemos fazer, e o autoconhecimento é uma ferramenta essencial nesse processo.

Quem você é?  Quero convidá-lo para um exercício rápido e muito eficiente. Pegue uma folha de papel e divida em três partes (um, dois e três), e responda conforme a seguir: 1) Quem eu sou? (coloque o máximo de informações possíveis, características pessoais, valores, pontos de melhoria) 2) Quem quero ser? 3) Como vou alcançar? Essa simples tarefa, tem o proposito de clarificar para você mesmo a essência do seu eu e inclusive esclarecer certos comportamentos que estão presentes no dia a dia.

Esse é de fato, um ponto de partida para uma vida mais equilibrada e feliz. O caminho do autoconhecimento é construído com muito esforço e dedicação dia após dia. No mercado, existem muitas ferramentas que mensuram as habilidades, destacam os pontos fortes e de melhorias, classificam o perfil predominante entre outras informações que promovem o autoconhecimento e nos impulsionam para o sucesso, clique aqui e saiba mais: http://proex.adm.br/contato/. Afinal, você deixaria a chave do seu carro com um estranho? Se a resposta for NÃO, você faz parte de uma estatística de 92% dos brasileiros que só confia naquilo que conhece, logo se você não conhece a si próprio, como vai acreditar que poderá reverter até o pior cenário e/ou situação em sua vida?  Isso tem relação com sucesso, superação, transformação, e depende unicamente de VOCÊ!

Se conheça, se permita… esse é o primeiro passo, mas lembre-se esse é o caminho mas a chave está na atitude! Faça diferente e comece HOJE!

Conte conosco para alçar voos ainda maiores!

Seja você!