NAS MÃOS DE QUEM ESTÁ SUA EMPRESA?

Vamos imaginar o Lewis Hamilton na direção da potente Mercedes, mas com as rodas quadradas. Inusitado? Muitas empresas caminham desta forma e seus gestores não sabem. A mais evidente oportunidade para uma empresa obter vantagem competitiva consite na utilização plena das possibilidades dos seus recursos humanos. Todos sabem que há uma perda razoável de potência produtiva, seja por desinteresse, falta de preparo ou ainda, por conta do choque de interesses entre “patrão” e o “empregado”.

Quando uma empresa detém um departamento de Recursos Humanos, o profissional se torna o agente indispensável na harmonização dos interesses entre as partes e na promoção das competências necessárias, não podendo declinar dessa responsabilidade.

No entanto, quando não existe esse departamento são os gerentes, os gestores diretos que lidam diretamente com seus colaboradores e, se torna imprescindível estar preparado para lidar e gerir pessoas.

Grande parte dos gestores acreditam, que o futuro de suas empresas está única e exclusivamente em suas mãos, todavia é muito importante se atentar que uma empresa é composta por pessoas envolvidas por propósitos, objetivos afins e trabalho em equipe, sendo assim, gestor nenhum logrará êxito sozinho, o gestor precisa estar consciente que para atingir seus objetivos e metas, precisa de pessoas envolvidas no processo, sozinho ele não chegará a lugar algum. Hoje, faz-se necessário qualificar inclusive os de maior escolaridade carecem de uma preparação para dominar as técnicas e os conhecimentos elementares que os habilite a gerir e contribuir na gestão de uma empresa.

 RODA QUADRADA

Para evitar expor-se ao ridículo, não perguntam e, quando perguntam, nem sempre conseguem boas respostas. Passam meses e até anos angustiados: aprendem “na marra” ou erram para sempre. Quem não sabe o suficiente, será incapaz de obter a adesão de seus colaboradores. Os que desconhecem as mais elementares técnicas de relacionamento interpessoal não serão capazes de dar ordens adequadas. Aí é que a “ roda fica quadrada”.

Quanto perde a empresa por não preparar seus gestores? Ou quanto ganhará se os preparar adequadamente? Basta estimar um percentual de energia desperdiçada e quanto poderia agregar à produtividade com uma gestão adequada: por baixo, 15% a 20% em qualquer empresa. O investimento será compensador!

Para exercer plenamente suas funções, o gestor deve entender do negócio e participar desde o início do planejamento empresarial, nas fases estratégica, tática e operacional. Desenvolver competências gerenciais e autoconfiança, capacitando-se a “compreender a empresa” na essência elaborando e implementando os planos empresariais sendo indispensável a todos gestores.

Sua empresa será um lugar muito melhor para trabalhar, além de muito mais produtiva, quando todos falarem a mesma “linguagem”, entenderem e participarem “do negócio” com a mesma competência.